[ editar artigo]

Diálogo no relacionamento amoroso

Diálogo no relacionamento amoroso

Como anda seu relacionamento afetivo em termos de diálogo? Vocês conversam? Sobre o que? Amenidades do cotidiano? Ou vocês efetivamente se revelam um para o outro? Pergunto isso porque vejo quantos casais sofrem de desconhecimento mútuo. Por um lado, não se mostram verdadeiramente. Por outro, preferem que o parceiro também não se mostre em maior profundidade, pois isso poderia colocá-los em situações incômodas. No entanto, em ambos os casos estamos falando simplesmente de encarar a verdade a respeito de si mesmo, daquele com quem nos relacionamos e do relacionamento como tal.

Uma leitora pergunta se é normal certas condutas que o homem por quem ela está apaixonada (e com quem desfruta de uma vida sexual bastante satisfatória) tem com colegas de trabalho, conduta esta que aparentemente chegou ao conhecimento dela sem que seu parceiro soubesse. Minha resposta é simples: você já pensou em falar abertamente sobre isso com ele? Tanto sobre suas dúvidas e incômodos, quanto sobre o que ele está vivendo? Abertamente, isto é, sem julgamento, para que ele possa ficar mais à vontade em se mostrar.

Não é curioso este caminho que os relacionamentos ditos íntimos tomaram? Fica-se à vontade para transar, na melhor das hipóteses, mas não para falar sobre certas coisas. A verdadeira intimidade vai além da cama. Mas com isso eu não quero sugerir que se sature a relação com falação cansativa, desnecessária ou implicante. Com frequência, quando não se peca por falta, peca-se por excesso. Ou quase não há diálogo, ou entope-se a relação com assuntos que só tem o objetivo de nos manter distraidos, ocupados com coisas sem importância. Mas sobre o que realmente importa, não se fala.

Talvez isto não fizesse tanta diferença em outros tempos, sabe-se lá. Mas atualmente não é bem assim. A cada dia fica mais difícil sustentar relacionamentos baseados na mentira, e a ausência de diálogo franco acaba implicando em falsidade pelo simples fato de que os envolvidos no relacionamento já não conhecem um ao outro de verdade, o que os impede de se relacionarem a partir de sua verdade mais profunda. A união nesta nova era só se sustentará, se assim tiver de ser, com base na verdade e na transparência.

 

São Paulo, 2009

 

 

Aprimore Psicologia
Luiz Pezzini
Luiz Pezzini Seguir

Luiz Claudio Di Pino Pezzini (CRP 6/36072). Clínica e Ensino de Psicologia. São Paulo/ Online. luiz@aprimore.com.br. +55 11 98187-9987.

Ler matéria completa
Indicados para você