[ editar artigo]

Psicologia e religião: 5 motivos para ir a um psicólogo

Psicologia e religião: 5 motivos para ir a um psicólogo

 

1- Sabemos que, a espiritualidade é inerente a condição humana, por isso, nós psicólogos, entendemos a importância da religião na história da humanidade.

 

2- Uma prática não exclui a outra. Ambas e juntas, são contribuições para a saída subjetiva das mazelas existenciais, que é a contribuição para os alivio dos sintomas, causados pelos problemas e angustias da vida.

3- Cada uma dessas áreas do conhecimento, vai oferecer o acolhimento adequado, dentro das suas perspectivas. No caso do profissional de psicologia, estará munido de teorias cientificas psicológicas.  

 

4- Não cabe ao psicólogo fazer julgamento da sua crença e ritos religiosos, e sua religião pessoal, não interferirá no processo terapêutico, assim como, a religião pessoal do psicólogo, também não poderá ter influências. De acordo com o seu Código de Ética profissional, é vedado (proibido) ao psicólogo: “Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais (…)”. 

5- Ir ao psicólogo não é coisa de doido ou falta de fé. A psicologia está presente em muitas áreas de conhecimentos científicos envolvendo as relações humanas, como a: Jurídica, social, esportiva, hospitalar, organizacional, educacional...Além disso, você poderá contar com um profissional da psicologia, também, para a prevenção de saúde mental e autoconhecimento. 

 


 

Psicologia e religião: Reflexão

Bom, primeiramente, gostaria de dizer, que sabemos o quão importante é a religião e a espiritualidade. Pois, historicamente, a religião é inerente a nossa condição existencial.

Assim como, deixar claro que a psicologia não é um comparativo ou substituto da fé e não põe a prova as suas crenças pessoais. Mas sim, mostrar que as duas, juntas ou não, são meios que podem contribuir para a saúde mental, o equilíbrio e a superação dos conflitos inevitáveis da vida.

A psicologia é uma ciência, que estuda o comportamento humano e os aspectos mentais, assim como existem médicos especialistas nos cuidados das doenças físicas, existem os Psicólogos, especialistas nas questões de ordem psicológicas, emocionais e comportamentais, incluindo as doenças mentais. Além disso, quando falamos em doenças físicas, nos remete ao mal funcionamento fisiológico, certo? Mas, nem sempre as doenças são desenvolvidas apenas por disfunções físicas, mas também, pela somatização de transtornos psicológicos não elaborados ou resolvidos, que se convertem com manifestações orgânicas.

Por isso a importância de não desconsiderar as questões psicológicas ao visar a promoção da saúde, pois corpo e mente funcionam como uma mesma unidade e não devem ser cuidados separadamente.

Eu imagino que vocês já tenham escutado por exemplo, que depressão é falta de Deus. Não é mesmo? Eu me atrevo a deixar um exemplo: Quando uma pessoa, apresenta um problema cardíaco é errado ou “pecado” que ela se consulte com o um cardiologista? Certamente, vocês me dirão que não! E assim é, os psicólogos cuidam das emoções, assim como cardiologistas cuidam de corações!

Existem momentos em nossas vidas, em que as coisas saem do nosso controle e a angustia toma conta da gente. Todos estamos sujeitos a passar por momentos assim. Nesses momentos, a ajuda de um profissional de psicologia, é fundamental, para te ajudar a ampliar suas referências de elaboração do sofrimento e ressignificação do “problema”, possibilitando que você desenvolva a sua capacidade de resiliência e autonomia no autogerenciamento das suas emoções, diante das dificuldades da vida.

Imagino que vocês também tenham uma amiga(o), um líder espiritual ou alguém que seja referência em seu meio religioso, que você confia, mas uma conversa, por mais cheia das boas intenções que seja, não substitui um tratamento adequado e especializado. O líder espiritual, certamente é capacitado para ajudar em muitas áreas, mas não especificamente para problemas psicológicos, entende?

Já imaginou, esse líder dando orientações para uma mulher no seu período de pós-parto? Supondo que, ele tenha apenas as suas experiências baseadas nas vivencias espirituais, e sem nenhum embasamento teórico científico do assunto? Em um momento que o corpo da mulher está borbulhando de hormônios e tendo reações físicas e emocionais? É de se concordar, que os recursos desse líder, são extremamente limitados para a situação, por isso a importância de que cada acolhedor esteja disponível dentro das suas perspectivas e campo de conhecimento. 

Para os religiosos, pode-se crer, que Deus em sua sabedoria, nos muniu de profissionais capazes para ajudar os que sofrem nessas áreas da vida, então, aqui estamos nós, os Psicólogos!

Além disso, nós não falamos apenas sobre depressão e suas mais diversas formas de manifestação. Você pode procurar um psicólogo para uma orientação profissional, para lidar com situações do dia a dia, do seu trabalho, do seu casamento, para acompanhamento das suas emoções durante a gestação e pós-parto, para assistência no desenvolvimento dos filhos e muitos assuntos relacionados aos aspectos mentais e das relações humanas.

Aprimore Psicologia
Psicóloga Claudia Alessandra
Psicóloga Claudia Alessandra Seguir

Sou psicóloga, graduada em 2016 pela Universidade Nove de Julho. Atuo como psicoterapeuta de adultos e adolescentes.

Ler matéria completa
Indicados para você