[ editar artigo]

Sobre a questão de (não) trabalhar

Sobre a questão de (não) trabalhar

Estava conversando com minha namorada quando surgiu o assunto de jovens que conquistam independência financeira prematuramente em suas vidas, e a partir de então "trabalham com o que querem, e quando querem."

Vejo que o trabalho, se bem dosado com uma firme disciplina de compromisso com si mesmo e constante exame de direcionamento ("para onde isto está me levando?") alimenta no indivíduo diversas qualidades positivas. Todavia, há em muitos jovens um certo sonho em "se libertar", definitivamente, de amarras que sentem em suas atividades profissionais. A pergunta que fica é: o que farão de si depois de libertos?

Assim como uma dieta, tentar parar com algum hábito nocivo ou começar exercícios físicos, muitas vezes a motivação só vem depois de algum tempo praticando - quando tudo o que queríamos é que ela viesse antes - afinal, nos sentimos culpados se nos entregamos ao "hoje não" e não conseguimos cumprir com o objetivo traçado. Assim também é com algum trabalho idealizado, isento de esforços, sempre motivador. Ou seja: uma ilusão.

 

Aprimore Psicologia
Lucas Baviera
Lucas Baviera Seguir

Psicólogo Clínico, formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e realiza atendimento psicológico particular de público adulto e adolescente. Abordagem Psicanalítica.

Ler matéria completa
Indicados para você